segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Como minha vó dizia...





A vida no sertão
Era uma lição.
As criança aprendia,
Desde pequena
A ter esperança no hoje
Porque do amanhã...
Pouco se sabia.

A seca era dura.
A estiagem,
Nossa companheira!
Nosso maior sonho?
Uma chuvinha,
Mesmo sendo passageira.

A vida no sertão,
Era que nem dos ciganos.
Andávamos todos os dias
Nos mudando para novos enganos.

Meu menino só dizia
Que jagunço igual ao pai,
Seria.

Pobre garoto!
Foi-se antes de concretizar
O que queria.

No sertão a fome é rija
E os sonhos,
Utopia.

Viemos para São Paulo
Buscando melhores dias.
E deixamos para trás
O meu sertão,
No interior da Bahia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário