terça-feira, 22 de maio de 2012

Sensacionalismo Musical.





"Você não tem que ser maior que a música, deves servir a música. Fazer parte dos instrumentos."



Durante meu curto percurso de vida, eu sempre busquei certo aprimoramento musical.
Não sou nenhuma profissional do ramo, mas tão pouco me considero uma leiga.
Digamos que eu seja uma apaixonada por música. Apenas.

A partir de meados da década de 90 até hoje, passou a persistir uma banalização musical. E o sensacionalismo desta banalização tornou-se normal.
Não sei se você já parou para prestar atenção na sonoridade das músicas atuais. Elas são, todas, muito parecidas.

Não me venha com essa de ‘mesmo estilo’, porque Legião Urbana e Frejat possuem o mesmo estilo (Pop Rock), e o arranjo musical, a melodia, ... A riqueza das musicas são diferentes, apesar de pertencerem ao mesmo estilo.

O funk, o pagode, o sertanejo universitário e o rock ‘teen’ são alguns exemplos dos estilos mais afetados por esse ‘vírus’.

Não estou a criticar... Eu também ouço essas musicas, e gosto delas.
Porém, sinto falta do desafio. Sinto falta da complicação de um arranjo bem orquestrado, de uma melodia diferente, de uma letra pura, criativa... Sinto falta da emoção ao cantar.

Alguns cantores atuais, não por pretensão, mas por falta de discernimento, aparentam ser maiores que suas musicas. E você deve servir a música, ser mais um de seus instrumentos... E não sobressair-se a ela.

Felizmente, ainda existem cantores (e letras) incríveis.
E sempre devemos olhar de formas diferentes as musicas dançantes das apreciativas. Isso é fundamental.

O talento existe, o que falta, é seu aprimoramento.

Kisses Guys!

Nenhum comentário:

Postar um comentário