quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A Dama da Morte

O seguinte texto foi redigido no dia 07/09/2016. 5 dias antes do falecimento de minha avó.

Segue:

E, mais uma vez, a Dama da Morte me assombra...
Como se passasse feito um vulto por entre as sombras e dissesse: -"Sentiu saudade? Não se preocupe, eu tardo mais não falho. E, eu nunca vou te abandonar."

Somos tão íntimas, que, às vezes, eu sinto até a sua presença.
Ela sempre me cerca.

E, tentando me reconfortar sobre algo adiável mas não inevitável, sussurra que sua visitante não sofrerá.
Mas aqueles que ficam sofrem pela perda.
Como se cada vez que alguém se fosse... levasse um pedacinho nosso...

E, assim, vamos nos deteriorando... Nos desgastando... De pedacinho em pedacinho...
Até que sobre apenas um.

E, é esse um, que ela vem buscar. 
E, sua visita, ao descanso, nos levará.


Angélica Lima


Nenhum comentário:

Postar um comentário